fernanda (alequinhos) wrote,
fernanda
alequinhos

I wonder all the time why worry

As pessoas andam falando muito sobre o ocorrido no BBB na madrugada do último domingo, e fala-se muito em opinião.

Ok. Você pode me dizer que assistiu ao vídeo - e ao vídeo todo, não ao censurado, por favor - e que acha que não aconteceu nada, ou que ela não estava dormindo. Eu vou achar isso um caso de ingenuidade ou de péssima interpretação, mas vamos chamar de opinião.

Agora, você não pode falar:

1) "Ele ser expulso e ela não é racismo!"

2) "Ah, mas isso não é estupro."

E, por favor, do fundo do meu coração, você especialmente não pode falar:

3) "A culpa é dela, encheu a cara!" ou "É puta mesmo, safada!" ou "Os dois estavam bêbados, têm a mesma parcela de culpa."

Olhe bem para a situação, por favor.

1) Daniel foi expulso do programa porque estava sendo instaurado um inquérito policial no qual ele é suspeito. Estamos falando de um CRIME. Isso não depende da sua OPINIÃO.

Ele ser negro não muda nada, note. Usar a carta do racismo nesta situação acaba apenas desvalorizando um problema gravíssimo na nossa sociedade, que deve sim ser combatido, mas que nem de perto vem ao caso.

2) Ah, mas isso é estupro, sim. No sentido legal e no sentido moral, não há como não ser caracterizado como estupro. Há ato libidinoso e não há consentimento, é estupro. PONTO.

3) Não, não e não.

O Código Penal Brasileiro caracteriza estupro como: “Ter conjunção carnal ou praticar outro ato libidinoso (...) com alguém que, por enfermidade ou deficiência mental, não tem o necessário discernimento para a prática do ato, ou que, por qualquer outra causa, não pode oferecer resistência.”

O CPB não diz que não se pode beber até desmaiar, ou que não se possa ter uma vida sexual ativa, ou que seus atos são legalmente inválidos quando você está bêbado.

Ela estar bêbada, ser “uma vaca” ou ele também estar bêbado não muda o fato de que um crime ocorreu e que a responsabilidade é inteiramente de Daniel.

Mas esqueça o que é legal, vamos falar sobre o que é moral. Porque, sério, é isso o que mais me incomoda. Quando a gente tenta jogar a responsabilidade pra cima da vítima, aí sim é perigoso.

Veja bem: nós estamos reprimindo a liberdade de uma pessoa ao invés de reprimir o comportamento criminoso de outra. Estamos dizendo que uma mulher não pode beber o quanto quiser, se vestir como bem queira e ter quantos parceiros sexuais tiver vontade, quando deveríamos dizer que não se pode estuprar.

A sua liberdade vai até onde começa a minha. É minha liberdade beber o que eu quiser, vestir o que eu quiser e transar com quem eu quiser, e é MINHA liberdade te dizer não.

Ninguém está dizendo que a Monique é santa, estamos dizendo que isso não vem ao caso. A partir do momento em que ela estava incapacitada de impedi-lo, é estupro. E ela já ter dado pra cem, duzentos ou trezentos não vai mudar isso.

E, novamente, isso não tem nada a ver com a sua bendita opinião.

Aí chegamos ao título do post: eu me pergunto o tempo inteiro por que me preocupar.

Porque, afinal, a sociedade é machista e sempre será. Mulheres sempre serão estupradas, não há nada o que se fazer e... NÃO.

Se preocupe porque é ERRADO. Se preocupe porque é um ser humano, uma pessoa como você, com sentimentos e traumas e que dificilmente terá uma vida normal de novo. Se incomode porque não é engraçado, e não é engraçado nem quando passa no Zorra Total, nem quando sai da boca do Rafinha Bastos, nem quando acontece com a sua filha, a sua mãe, a sua irmã ou a sua melhor amiga.

SE IMPORTE.

Não estou dizendo pra você sair por aí com cartazes e armando protestos, ou pra fazer textos quilométricos e divulgá-los nas redes sociais. Seria ótimo se as pessoas fossem conscientizadas a esse ponto, mas, no mínimo, NÃO SEJA INDIFERENTE.

Sua humanidade agradece.


Tags: let's be serious for a moment
Subscribe

  • Post a new comment

    Error

    Anonymous comments are disabled in this journal

    default userpic

    Your IP address will be recorded 

  • 1 comment